14° Romaria das Águas e da Terra de Minas Gerais: Terra e Água partilhada, herança de Deus resgatada


Publicado há 9 anos, 1 mês

Lívia Bacelete, comunicadora popular ASA / Cáritas Regional MG


A Romaria das Águas e da Terra de Minas Gerais deste ano será realizada no município de Januária, região da Bacia do Alto Médio São Francisco. A cidade já se prepara para receber os cerca de 5 mil romeiros que devem participar da Romaria no próximo dia 18.

Com o tema “Terra e água partilhada, herança de Deus resgatada” e o lema “Nas terras e águas dos Gerais, a memória da resistência de nossos ancestrais”, a Romaria será um momento de anúncio da vitória da vida e da organização do povo e denúncia frente à violência do sistema capitalista neoliberal.

A preparação dos romeiros acontece durante a Semana das Missões, entre os dias 11 e 17 deste mês, quando os missionários visitam as famílias da zona rural e urbana refletindo e discutindo os temas da Romaria. No dia 17 de julho, os romeiros chegarão ao município de Januária para participar de uma noite cultural com apresentações da cultura popular das comunidades tradicionais da região. No dia 18, são esperados romeiros de todo o estado de Minas Gerais e do país.

Os participantes estarão em Romaria em defesa das comunidades tradicionais, em enfrentamento aos grandes projetos de grupos empresariais e latifundiários e a favor de uma revitalização popular do Rio São Francisco. Durante a Romaria, serão recolhidas assinaturas para duas campanhas: Limite da Propriedade da Terra e Opará.

A Campanha pelo Limite da Propriedade da Terra consiste em um plebiscito popular para conscientizar e mobilizar a sociedade brasileira sobre a necessidade e importância de se estabelecer um limite para a propriedade da terra. A campanha foi criada para acabar com a histórica concentração fundiária existente no país. A Campanha Opará trata-se de uma petição para o Supremo Tribunal Federal organizada pelos 33 povos indígenas do Nordeste impactados pela transposição das águas do rio São Francisco.

Este ano, a Romaria é organizada pela Comissão Pastoral da Terra (CPT), Cáritas Diocesana de Januária, Conselho Indigenista Missionário (CIMI), Mitra Diocesana, Irmãs Paroquiais de São Francisco e da Divina Providência, Paróquia Sagrada Família e Nossa Senhora das Dores, ambas do município de Januária.

Histórico
As Romarias são momentos de fortes manifestações religiosas, em que fé e vida movem o povo de Deus na busca pela transformação da atual sociedade excludente para o Reino. A construção deste lugar com “vida em abundância” para todos os filhos e filhas de Deus em comunhão com a criação, passa pela organização do povo que se coloca a caminho.

Em Minas Gerais, a Romaria das Águas e da Terra acontece desde 1996, como momento de celebração e reconhecimento da importância da terra e água. Esses bens vitais doados por Deus devem ser partilhados e preservados para as gerações futuras.

A luta pela conquista e preservação da terra e da água sempre foi um tema complexo, principalmente numa região esquecida pelos governantes e dominada pela corrupção. Neste cenário, a Romaria das Águas e da Terra é um momento de anúncio e denúncia frente à violência do sistema capitalista neoliberal.

Município de Januária
Com uma população de 67.516 habitantes, o município de Januária localiza-se no Norte de Minas Gerais, ao lado esquerdo do Velho Chico. Ele tem como base de desenvolvimento as riquezas doadas pelo São Francisco, impregnadas na vida dos pescadores, ribeirinhos, vazanteiros, quilombolas e indígenas. Riquezas como o artesanato, a produção de cachaça de alta qualidade, o extrativismo de frutos e essências do cerrado e a atividade turística. No dia 07 de outubro deste ano, Januária comemora 150 anos de emancipação política.

Busca no blog

POSTAGENS POR DATA