ARTICULAÇÃO SEMIÁRIDO MINEIRO REALIZA REUNIÃO EM ARAÇUAÍ PARA DISCUTIR AVANÇOS E DESAFIOS DAS TECNOLOGIAS DOS PROGRAMAS


Publicado há 6 anos, 11 meses


 Por: Giovana Prates (Cáritas Diocesana de Araçuai)
e Regiane Ferreira (Cáritas Regional Minas)

Foi realizado nos dias 5 e 6 de maio no Centro Diocesana de Araçuaí a reunião da Articulação Semiárido Mineiro (Asa Minas). O objetivo do  encontro foi avaliar as atividades dos programas P1MC e P1+2, além de   planejar as ações para o ano de 2014. Participaram das atividades aproximadamente 60 pessoas entre agricultores e agricultoras e entidades parceiras da ASA Minas, como a Cáritas Diocesana de Araçuaí, Januária, Almenara, Cáritas Regional Minas, Centro de Agricultura Alternativa (CAV), Sindicato de Porteirinha, Virgem Da Lapa, Itinga, Coronel Murta entre outros parceiros. 

No primeiro dia do encontro, a coordenadora executiva da Articulação, Valquíria Lima fez uma breve apresentação dos trabalhos da ASA no semiárido com reflexões sobre os avanços e desafios da rede. Também foi levantado um resgate histórico sobre concentração de renda no país. A pauta gerou bons debates dos agricultores e agricultoras sobre a economia brasileira, programas sociais, Políticas Públicas, convivência com o semiárido, dentre outros assuntos. Na oportunidade, Valquíria Lima questionou o grupo se o aumento de renda pode ser considerado uma maior qualidade de vida.
As discussões geraram debate, como a plantação de eucaliptos na região que tem crescido e secado as nascentes, a má apropriação dos programas governamentais e a política. “Hoje, o homem da botina tem o seu valor”, pontou o agricultor e membro do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de São João da Ponte, José Ramos. Ele ainda refletiu que apesar da valorização nos últimos anos em programas sociais, ainda há muito que se fazer.

Logo após, o coordenador do P1MC, Rafael Neves falou sobre os projetos e parcerias, destacando a propostas de construir 300 cisternas escolares em Minas.
Maitê Maronhas, da assessoria do P1+2 fez uma apresentação das dificuldades do programa, seus avanços e o amadurecimento de sua implementação ao longo dos anos. 

Os participantes se dividiram em grupos para fazer avaliações sobre os programas e posteriormente foram apresentados os debates. Ao final, Valquíria Lima comentou que a ASA Minas foi ampliada nos últimos anos. “Hoje temos mais de 120 pessoas atuando diretamente nas políticas da ASA em Minas Gerais. Temos que avançar nas atuações coletivas nos territórios, pois Somos Rede, Somos ASA", refletiu.

No segundo dia de atividades, a equipe de comunicadores populares esteve à frente para apresentar um pequeno balanço da atuação em rede. Os comunicadores populares Ericson Jardim e Giovana Jardim iniciaram a apresentação do histórico da Comunicação na ASA. O comunicador Diêgo Alves reforçou a ideia de Comunicação Popular e suas ferramentas em contraponto às grandes mídias que negam ou silenciam o camponês e as camponesas.
O secretário estadual da Cáritas Regional Minas, Rodrigo Pires falou sobre a agrobiodiversidade. Em sua fala, Rodrigo faz uma memória de quando esse trabalho se inicia ainda com o resgate das sementes crioulas e ensaios de sementes e como se chega aos /as guardiões e guardiãs das sementes.  Para ele, quanto mais espécies se misturam mais rica se torna a agroecologia. “Vejo que a cada ano que passa ocorre diminuição das plantas cultivadas”, lamentou. 
Logo após, o assessor pedagógico da Asa Minas, Allan Silveira dos Santos, falou um pouco sobre ações e resultados dentro das ações da Articulação.  Ele levou uma reflexão sobre o impacto dos Programas da ASA na saúde, uma vez que a água das cisternas reduz o número de doenças causadas por água contaminada.
Para finalizar o comunicador Popular Erikson Jardim explicou sobre o Plebiscito Constituinte. Ele convidou as organizações a embarcarem nessa luta para apoiar a divulgação impressa e digital do Plebiscito Constituinte.

Para Valquíria Lima, a reunião foi muito participativa por parte dos agricultores e agricultoras além de todos os membros presentes, “Sempre temos novas pessoas na ASA Minas isso traz uma renovação e motivação muito grande para  nossas ações. Conseguimos iniciar nosso processo de avaliação da caminhada de 14 anos da ASA Minas, resgatando nossa história e refletindo a realidade do semiárido”, finalizou.

Fotos: Regiane Ferreira  - Cáritas Regional Minas Gerais













Busca no blog

POSTAGENS POR DATA