Barraginhas e lagos multiusos trazem alternativas para a convivência com o semiárido mineiro


Publicado há 7 anos, 11 meses

Por Helen Borborema, Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Porteirinha

Alternativas para conviver com o semiárido e contribuir para a segurança alimentar e geração de renda das famílias. Esta é a proposta da Associação Casa de Ervas Barranco da Esperança e Vida – ACEBEV, que no mês de maio e junho tem investido na construção de barraginhas e lagos multiuso nas comunidades rurais do Tanque, Barreiro e Lages, município de Porteirinha, no Norte de Minas. 
São 150 horas de trabalho de retroescavadeira para que as famílias agricultoras construam suas barraginhas, reativando o lençol freático, e os lagos de múltiuso, entre eles, para criação de peixes. Este projeto é fruto de uma parceria com Luciano Cordoval, que recebeu prêmio da Petrobrás para a disseminação dessas tecnologias. Segundo Luciano, que faz parte da Embrapa de Sete Lagoas, quando ele conheceu a coordenadora da ACEBEV, Irmã Mônica, e esteve pela primeira vez em Porteirinha não pensou duas vezes e quis contribuir com essa causa. 

O agricultor Zeferino Silveira, um dos beneficiados da comunidade Barreiro, ficou emocionado. Ele conta que há mais de 20 anos queria fazer barraginhas como essas, mas nunca teve oportunidade. Hildebrando José de Novais, agricultor da mesma comunidade, também não se conteve de alegria. Ele contou emocionado que nunca imaginou a possibilidade de ter um lago de múltiuso para ajudar com a produção familiar e barraginhas para fortalecer o pequeno rio que passa em sua propriedade. 
Com 90 horas de máquinas já haviam feito 68 barraginhas e 6 lagos de múltiuso. Para Geraldo Silveira, diretor da ACEBEV e grande incentivador dessas tecnologias na região, o trabalho de mobilização, execução e acompanhamento do projeto não é fácil, mas é gratificante saber dos benefícios que virão para a comunidade e para as famílias beneficiadas. 

Além de Geraldo, José Olimpio Lopes, conhecido como Zica, diretor da ACEBEV e membro da comunidade do Tanque, também acompanhou todos os trabalhos. Além de receber as tecnologias, todas as famílias beneficiadas participam de reuniões e passam por uma oficina que ajudam a compreender mais sobre as potencialidades dessa ação. Segundo os organizadores, emoção não tem faltado. Para Geraldo, um dos momentos mais marcantes, que vai ficar na memória, foi o grande abraço coletivo que aconteceu na conclusão do primeiro lago na propriedade de uma família. Ele lembra que foi muito bonito ver o lago construído e todo mundo em volta abraçado. “Foi como ver a esperança que tinha brotado de novo no coração das pessoas”.

Busca no blog

POSTAGENS POR DATA