CURSO DE PEDREIROS EM ARAÇUAÍ: FORMANDO AGENTES TRANSFORMADORES DAS TECNOLOGIAS DA ASA


Publicado há 6 anos


Por Giovana Prates
comunicadora popular Cáritas/ ASA

A Cáritas Diocesana de Araçuaí realizou entre os dias 23 de abril e 01 de maio o curso de pedreiros na comunidade Quatis, município de Araçuaí.
O objetivo do curso é preparar agentes comunitários para as construções das tecnologias sociais de cisterna-calçadão e enxurrada dos Programas da ASA (Articulação Semiárido Brasileira).
Participaram 20 pedreiros das comunidades de Itinga, Virgem da Lapa e Araçuaí.  O curso é a prática de nivelamento do 1º Encontro de Pedreiros que aconteceu no último dia 11 de abril.
Segundo Antônio Júnior, animador social do Programa P1+2, o curso oferece além do aprendizado das construções das tecnologias sociais aos capacitados, a vivência e os diálogos dos agentes comunitários com as comunidades, sabendo que eles serão os  agentes transformadores e multiplicadores dos programas da ASA no foco da convivência com o semiárido. “ A missão vai além da construção física”, pontua ele.
Alvino Ferreira da Silva, da comunidade Nova Esperança, município de Itinga diz que nunca tinha participado do curso, e foi muito importante para ele, pois ajudou a tirar dúvidas que ele tinha.
Emerson da Silva da comunidade Mario Uzan, município de Itinga diz que, aprendeu muito e ensinou muito no curso, “tivemos vários momentos bons de aprendizados que irei passar pra frente, buscando sempre o aperfeiçoamento das tecnologias”, pontua.
Adail José recebeu o curso em sua comunidade, ele conta que já havia participado das construções das cisternas de 16 mil litros e achou muito importante o curso ser na comunidade dele. “É sempre bom ter algo novo em nossa comunidade, é uma forma de incentivar outras pessoas a participarem também, além de tudo é uma troca de experiências, pois recebemos pessoas de comunidades diferentes”, diz Adail.
Os técnicos responsáveis pelo curso foram: José Ferreira da Silva, conhecido como “Minguim”, e  José Maria. Minguim trabalha com as tecnologias sociais da ASA, há mais de 05 anos, e se orgulha em dizer que domina as construções de todas elas. “Aprendo mais que ensino e fico muito feliz quando eles estão interessados e dispostos a aprender, é muito prazeroso passar pra frente o que aprendi. O aperfeiçoamento das tecnologias vem de testes e observações que fazemos em coletivos, ou até mesmo sozinho, colocamos na prática e as coisas vão fluindo”.  Ele aponta ainda que: “falo para os futuros pedreiros, o aprendizado ninguém te tira, portanto, aproveite e use o seu conhecimento para coisas boas e produtivas”, finaliza.

José Nelson coordenador do Programa Uma Terra e Duas Águas (P1+2) reflete sobre a  importância da participação, envolvimento da comunidade no curso que vai desde o mutirão no serviço das construções  à infraestrutura. “A comunidade ajuda na organização, na preparação dos alimentos, está sempre disposta a ajudar, além de tudo oferece suas próprias casas para abrigar os pedreiros, sendo muito solidários.  A metodologia do curso também é construída com a comunidade, respeitando a realidade das famílias do local. É pensado também o bem estar dos agentes que chegam na comunidade para construir a oficina, assim, vai construindo atividades da sua cultura da comunidade para os momentos de descanso como jogos e brincadeiras. Tivemos até um jogo de futebol,: equipe dos pedreiros x (versus) equipe da comunidade local  no domingo, isso foi muito importante para o entrosamento das famílias”, pontua José Nelson. Ele ainda ressalta que momentos como esses devem ser valorizados os  princípios cristãos: respeito para com o outro e o cuidado em se divertir com responsabilidade.
No final do curso houve um momento de celebração, com muita alegria e satisfação, isso reforça o laço de compromisso e comunhão um com o outro. É um momento muito forte de agradecimento e certezas de que nosso caminho está apenas no começo, onde temos muito a construir de forma coletiva.



  

Busca no blog

POSTAGENS POR DATA