DEMOCRATIZAÇÃO DA COMUNICAÇÃO E 15 ANOS DA ASA FORAM DESTAQUES DURANTE O ENCONTRO ESTADUAL DE COMUNICAÇÃO


Publicado há 4 anos

Por Regiane A. Ferreira - Comunicadora Popular da ASA MG/Cáritas Brasileira Regional MG



Montes Claros -  A rede de comunicadores e comunicadoras populares, bem como animadores (as), coordenadores (as) e agricultores (as) do semiárido mineiro esteviveram presentes durante o Encontro Estadual de Comunicação Popular do Semiárido Mineiro. As atividades foram realizadas entre os dias 27 e 29 de novembro na cidade de Montes Claros (norte de Minas Gerais).  Aproximadamente  40 pessoas participaram nestes três dias de encontro, que contou com uma mística inicial, resgate da história dos 15 anos da ASA em Minas Gerais, um debate sobre a democratização da comunicação, oficinas práticas dentre outras atividades. 




Na mesa de debates estiveram  diferentes experiências em comunicação que garantiram intensas reflexões sobre a comunicação  popular no semiárido. Contribuiram nesse debate o educador e indígena Joel Gonçalves de Oliveira da aldeia Sumaré, território dos Xakriabás; bem como de Florence Poznanski, representante do Fórum Nacional pela Democratização da Comunicação (FNDC). Além deles, a mesa foi composta por Decanor Nunes, Articulação Semiárido Mineira que resgatou o a tragetória da ASA/MG pela democratização da comunicação e  o agricultor  Ednam Silva,  do assentamento João Congo que contou sobre a experiência na comunidade com uma rádio comunitária.  

Joel Gonçalves de Oliveira do território Xakriabá,  falou sobre a  importância dos meios de comunicação na comunidade. Temos em nossa aldeia as reuniões,  registros em vídeos e também uma  gravadora simples para colocar as músicas que são transmitidas em sala de aula. Temos também uma produção colaborativa com professores e jovens do ensino médio de material impresso como versos, desenhos e histórias. Uns digitam, outros diagramam o jornal e esse material divulgamos na comunidade. É uma forma de produção do conhecimento. E, o próximo passo é criar uma rádio comunitária”, explicou. Para Joel, levar a experiência da comunidade indígena  no encontro foi muito importante e ele explica que em pretende criar uma rede de comunicadores na aldeia.

Florence Poznanski (FNDC) falou sobre o projeto de lei de iniciativa popular pela regulamentação da Comunicação “Infelizmente, o  direito de se comunicar e passar o conhecimento, é um direito limitado. Não é universal”, explica Florence. Ela explica ainda que as mídias estão concentradas nas mãos de algumas famílias e grupos econômicos.  Ela conta que a ideia é uma regulamentação mais democrática nas políticas de comunicação no Brasil que possam garantir toda a diversidade de nosso povo.  

Florence diz que a ideia é uma regulamentação mais democrática nas políticas de comunicação no Brasil que possam garantir toda a diversidade de nosso povo. Por isso, a Campanha pela Democratização da Comunicação defende o fortalecimento do setor público de comunicação que possa abranger 1/3 do espectro de radiofusão. Dentre dele, a metade seria destinada a canais comunitários, potencializados por meio de um fundo de comunicação pública. 

Durante o encontro, foram realizadas oficinas de produção colaborativa ministrada por Elídia Vidal, representante da Mídia Ninja; oficina de rádios livres com Decanor Nunes; Agitação e Propaganda ministrada pela Marta do Levante Popular da Juventude e fotografia popular com Geovane Rocha da Asa Minas.

Vários depoimentos marcaram o encontro. Um deles, emocionou a todos. A agricultora e presidente do Sindicato dos Trabalhadores e Trabalhadoras Rurais de Chapada do Norte, Maria Aparecida Machado Silva, a Cida (foto), disse de forma simples e profunda sobre o ato de comunicar-se.  Para ela, comunicar é tão importante quanto viver. “A falta da voz destrói a alma”, disse a agricultora.  



Flash Mob  - Para  celebrar os 15 anos da Articulação Semiárido Brasileiro (ASA),  os comunicadores e comunicadoras populares da ASA Minas prepararam um flash mob (mobilização rápida) no centro da cidade de Montes Claros (MG). O flash mob foi realizado na  última quarta-feira (26), na Praça Dr. Carlos Versiani e contou com a presença dos jovens do Grupo Fitas, da Pastoral do Colégio Marista e do Grupo de Maracatu. Várias ações foram programadas nos estados em que a  Asa atua no país. 




É no Semiárido que a vida pulsa, É no Semiárido que o Povo Resiste...  e é no Semiárido que se faz comunicação popular, por meio do Candeeiro, das rádios comunitárias e livres, pela linguagem, pelas mãos, na cultura, na música e por tantos outras formas para modificar a imagem estereotipada do semiárido comumente associada ao gado morto e terra rachada por uma imagem de uma região bela, forte, cheia de cores e potencialidades

Mais imagens do Encontro e do vídeos do Flash Mob podem ser vistos em nossa fanpage. Acesse https://www.facebook.com/asaminasgerais

Busca no blog

POSTAGENS POR DATA