Encontro discute a situação da pesca no norte de Minas


Publicado há 8 anos, 6 meses



Nos dias 20 a 22 de maio de 2011, cerca de 60 pescadores e pescadoras do alto e médio São Francisco mineiro estarão reunidos em Pedras de Maria da Cruz (MG), no salão da Igreja Nossa Senhora da Conceição, para participar do Encontro de Pescadores e Pescadoras Artesanais. O Evento realizado pela Articulação Popular São Francisco Vivo tem o objetivo de socializar o Diagnóstico da Pesca Artesanal no Rio São Francisco-MG, documento que traz dados detalhados sobre as condições de vida dos pescadores do norte mineiro.


Fruto de uma pesquisa realizada pelas Irmãs da Divina Providência, que visitaram 12 municípios - comunidades ribeirinhas - durante o ano de 2010. O Diagnóstico da Pesca traz um panorama das condições de pesca na região. O levantamento começou com o intuito de contribuir para uma visualização geral da realidade pesqueira no rio São Francisco na região do norte de Minas.


Dificuldades de acesso ao rio e a poluição do mesmo, estão entre os principais problemas diagnosticados durante a pesquisa. O não reconhecimento do trabalho realizado pelas mulheres pescadoras também aparecem no relatório. “Ficamos impressionadas com a invisibilidade da mulher na pesca”, relata uma das pesquisadoras, Letícia Rocha. Ela aponta a desilusão com a atividade pesqueira, por parte de muitos pescadores/as, devido a escassez do peixe, cujas causas aparecem relacionadas a poluição e degradação do rio.


Com a socialização do Diagnóstico, espera-se que o documento contribua para a organização política dos pescadores. “O processo de organização dos pescadores se dá pontualmente, principalmente em momentos de desastres ambientais e nós esperamos que esse diagnóstico ajude os pescadores a construírem um processo contínuo de resistência em defesa do rio e da pesca artesanal, fortalecendo a sua condição de guardiões do rio”, torce Letícia.


A organização do encontro está a cargo de vazanteiros e pescadores de Pedras de Maria da Cruz, Paróquia Nossa Senhora da Conceição, Irmãs da Divina Providência, Comissão Pastoral da Terra MG e Conselho Pastoral dos Pescadores Nacional.


Sobre a Articulação Popular São Francisco Vivo


A Articulação Popular São Francisco Vivo (APSFV) existe desde 2005. Sua finalidade é congregar e fortalecer movimentos populares e organizações sociais (associações, sindicatos, pastorais, ONGs) na luta em defesa das comunidades e de toda a vida dependente do grande rio e de seus afluentes. Nestes cinco anos, cerca de 320 destas entidades de toda a bacia hidrográfica têm feito parte de uma permanente mobilização social por uma revitalização do São Francisco compreendido como Terra e Água, Rio e Povo. Seja no enfrentamento de um Projeto de Transposição imposto como falsa solução para a questão hídrica do Semiárido e em completa desatenção quanto ao estado de degradação do rio, seja na luta por uma inexistente Revitalização verdadeira do complexo de vida que é o Rio São Francisco, a Articulação tem marcado o cenário político e social-ambiental brasileiro.


Para mais informações:


Josemar Alves Durães (Presidente da Colônia de Pescadores de Ibiaí) - (38) 99780242
Edmar Rodrigues Diniz (pescador e acampado da Fazenda Prata - Pirapora) - (38) 99443966
Adenaldo (Vazanteiro de Pedras de Maria da Cruz) - (38) 91582539
Neusa F Nascimento (IDP/CPT)- (38) 88010061
Letícia Ap. Rocha (IDP/CPT) - (38) 98245585
Alexandre Gonçalves (Articulador da Articulação Popular São Francisco Vivo) - (38)98245585

Busca no blog