Fórum da Mulher Reúne Lideranças Femininas no Vale


Publicado há 8 anos, 2 meses



Começou na última quinta-feira, 19 de maio, às 9 horas, a primeira edição do Fórum da Mulher do Jequitinhonha 2011. O evento reuniu no Rotary Club da cidade de Jequitinhonha, mais de cem mulheres de 16 cidades do Vale do Jequitinhonha.


A mesa de abertura foi composta pelo prefeito da cidade de Jequitinhonha, Roberto Alcântara Botelho, pela Pró-Reitora Adjunta de Extensão e coordenadora do evento, Maria das Dores Pimentel Nogueira e pela representante da Fundação de Arte de Ouro Preto - FAOP - e também coordenadora do Fórum, Maria Alice Braga. Durante a abertura, Maria Alice definiu o Fórum como um espaço para discussão das questões das mulheres do Vale. "Este é o momento para começarmos novas histórias, para compartilhamos idéias, sonhos, discussões e torná-los realidade", afirmou.


A professora também ressaltou a importância cultural da região e o papel das mulheres do Vale dentro desta cultura. Em sua fala, Marizinha Nogueira ressaltou sua alegria com a concretização do evento. Segundo a Pró-Reitora, a idéia surgiu em 2010, durante as discussões do Seminário Visões do Vale. "Preparamos este evento com muito carinho. Mesclamos as mesas com professores da Universidade e representantes de movimentos aqui da região. Aqui é um espaço de conversa para a troca de conhecimento entre vocês e a Universidade", afirmou. Marizinha contou ainda que a segunda edição do Fórum acontecerá na cidade de Itaobim, que comemora em 2012, cinquenta anos.


Segundo o prefeito de Jequitinhonha, o Fórum é importante para que os municípios desenvolvam ações voltadas para as mulheres da região. "Estamos abertos para receber as propostas e realizar ações em prol da mulher. Espero que com o Fórum, possamos tirar propostas concretas para a vida das mulheres da nossa região. As discussões serão um norte para novas políticas públicas", explicou Botelho.


Após a mesa de abertura, a professora da UFMG, Marlise Matos ministrou a palestra: Desafios da cidadania feminina contemporânea. Durante a palestra, Marlise abordou o papel da criação na diferenciação entre mulheres e homens. "As mulheres são criadas para a vida privada e os homens para a vida pública. É importante romper com essas fronteiras. As mulheres têm que ser protagonistas na vida pública", afirmou. A professora também ressaltou a importância da presença das mulheres nos espaços de poder.


Segundo Matos, apesar das mulheres representarem 52% da população brasileira, a porcentagem de mulheres na política ainda é muito pequena, inferior aos países árabes. A professora apresentou ainda vários dados referentes à situação das mulheres brasileiras. Segundo os dados, hoje, 60% das pessoas formadas no ensino superior são mulheres e 48% da população economicamente ativa também. No entanto, segundo a professora, a diferença salarial entre homens e mulheres ainda é muito grande. Dados mostram que um homem branco chega a ganhar até vinte vezes mais do que uma mulher negra. "Existem assimetrias e desigualdades. Mas temos que conquistar a igualdade e esse processo depende de nós, mulheres", concluiu.


Após a palestra, as mulheres tiveram um momento de descontração. As participantes se apresentaram e depois dançaram e cantaram músicas populares da região. Na parte da tarde, as mulheres visitaram o Centro de Referência da Mulher e depois foi realizada a mesa sobre Participação Política Direitos Humanos.


A mesa contou com a presença de Evina Teixeira da Cruz, representante da Itavale de Medina, que abordou o tema Organizações Femininas e Participação Política da Mulher no Vale; Maria Aparecida Alves, que falou sobre a mulher nos assentamentos e a professora da UFMG, Marlise Matos que discutiu sobre a Violência contra a mulher e direitos humanos.


Após a mesa, foram formados 3 grupos de discussão: Participação Política, Violência Contra a Mulher e Vida no Campo. Cada grupo discutiu sobre o tema e levantou alternativas para a solução dos problemas referentes as temáticas. Tais discussões serão importantes para a elaboração, ao final do evento, de um documento público com as discussões e solicitações levantadas durante o Fórum. O documento será enviado para os municípios do Vale.


O dia 20 foi marcado pela continuidade das atividades do Fórum. Durante a manhã houve a mesa Cultura e Educação, com a participação da Pró-Reitora de Graduação da UFMG, Antônia Vitória Soares Aranha, da professora da UFMG Ana Maria Gomes e da representante da FECAJE, Ângela Gomes Freire.


Na parte da tarde, houve a mesa Geração de Renda, Saúde e sexualidade, com a participação do representante do CAV de Turmalina, Boaventura Soares de Castro; da Irmã Sandra Pinto de Souza, da Pastoral do Migrante e de Suelene Coelho, da UFMG. O Encerramento foi marcado pela elaboração do documento público.

Enviado por Grazianne Ramos - Cáritas Diocesana de Almenara

Texto e imagem: Fabíola Souza Informações www.ufmg.polojequitinhonha.com.br

Busca no blog

POSTAGENS POR DATA