GERAIZEIROS SÓ VÃO DEIXAR BRASÍLIA COM A CRIAÇÃO DA RESEX AREIÃO VALE DO GUARÁ


Publicado há 7 anos



Por Helen Rosa, comunicadora CAA/MG. 

Cerca de 150 geraizeiros do Norte de Minas,  envolvidos na luta pela criação da RESEX Areião Vale do Guará estão em Brasília para o Encontro e Feira dos Povos do Cerrado e anunciam que só deixarão a cidade após a assinatura do decreto de criação da RESEX. O processo  já se arrasta por 11 anos. Nesse tempo, grande parte do Cerrado foi destruído, comunidades tradicionais perderam seus territórios e várias nascentes d”água secaram em decorrência das monocultoras e explorações predatórias.
Os geraizeiros denunciam que nos últimos meses vem aumentando a pressão dos fazendeiros empresários na destruição dos últimos remanescentes de cerrados nos municípios de Montezuma, Vargem Grande do Rio Pardo e Rio Pardo de Minas, território que compreende a RESEX. Neste momento tratores estão desmatando com roçadeira cerca de 600 ha onde o cerrado encontra-se em pleno processo de regeneração com centenas de pés de piqui, mangaba e pana,  no divisor de águas das nascentes do Córrego do Guará com o Córrego Roça do Mato.. A área em questão está localizada em torno do ponto GPS – Coordenadas UTM 23 L - Longitude UTM 777975.00 m E; Latitude UTM 8302168.00 m S. Nos últimos tempos os moradores  denunciaram uma tentativa de ocupação do Areião por empresários que retornaram demarcando uma área de cerca de 1.000 ha para plantio de eucalipto. Há menos de um mês fizeram uma pulverização aérea com agrotóxicos nas imediações do P.A. Vale do Guará, divisa dos municípios de Vargem Grande com Montezuma.

As lideranças geraizeiras nos informam que não aceitam mais a demora do ICMBio na criação da RESEX / RDS Areião Vale do Guará. Na área da RESEX moram cerca de 450 famílias que cuidam do Cerrado. Os geraizeiros  vão participar de forma massiva no Encontro e Feira dos Povos do Cerrado que vai acontecer em Brasília entre os dias 11 a 16 de setembro de 2012 e aguardam com muita expectativa o decreto de criação das Reservas Extrativistas pela presidenta Dilma Roussef.  A pressão sobre os últimos remanescentes dos cerrados é imensa e eles já estão cansados de fazer resistência local, parando máquinas, destruindo fornos de carvão ilegais, enfrentando grileiros. De acordo com as lideranças, o próximo passo agora será Brasilia: no ICMBio, no Palácio do Planalto ou onde quer que seja. Vão transferir suas ações para os gramados da esplanada, para os gabinetes do ICMBio. Não querem apenas discursos, promessas. Só vão sair de lá com a Resex Areião e Vale do Guará criadas. E com encaminhamentos concretos para as outras 5 áreas demandadas em Minas Gerais.

Busca no blog

POSTAGENS POR DATA