INTERCÂMBIO PROPORCIONA TROCA DE EXPERIÊNCIAS ENTRE AGRICULTORES/AS DO NORTE DE MINAS GERAIS


Publicado há 6 anos, 6 meses

Por Paula Alves
Comunicadora Popular Cáritas Diocesana de Januária 

Entre os dias 10 e 12 de setembro agricultores e agricultoras do Peruaçu – MG participaram de um Intercâmbio no Norte de Minas Gerais com o objetivo de conhecer as experiências exitosas da região na área de cooperativismo, agricultura familiar, organização comunitária, artesanato e educação no campo.  O intercâmbio teve a participação de 45 pessoas com maioria de jovens e mulheres, a troca de experiências, os novos conhecimentos adquiridos e a convívio durante a viagem foram considerados como os momentos mais ricos de toda atividade.

Casa de Semente Crioula na Comunidade Barra do Tamboril 
A primeira visita ocorreu na Comunidade de Barra do Tamboril a 100 km da cidade de Januária, é nesse local que fica o Banco de Semente Crioula de uso comunitário e que tem como Presidente e guardião Jaime. Os participantes puderam conhecer a grande variedade de sementes guardadas (milho, feijão, arroz, abóbora,) e aprender sobre o funcionamento do Banco que ocorre através de um sistema de trocas entre os usuários visando à preservação das sementes e soberania dos agricultores familiares.



Criação de caprinos na Comunidade de Quatis
Na cidade de Chapada Gaúcha a visita foi na Comunidade de Quatis, na área do senhor Zé Augusto que possui criação de caprino a mais de 60 anos.  Ele e seu filho, Célio Lopes, explicaram como funciona esse tipo de criação, desde a quantidade de leite que o animal produz até os cuidados com a limpeza do curral. Seu Juscelino de Oliveira da Comunidade de Vereda Grande I que receberá umas das unidades demonstrativas previstas no Projeto Peruaçu – criação de pequenos animais – disse que achou a produção muito bonita e que não vê a hora de começar a mexer com os bichos e completou afirmando “Eu estou com muita disposição e depois de tudo o que vi e tendo ajuda a gente vai conseguir fazer bonito também”.

A visita seguinte foi na Cooperativa Regional de Produtores Agrissilviextrativista Sertão Veredas (COOP. Sertão) também na cidade de Chapada Gaúcha. Joel Araújo Siqueira responsável técnico pela cooperativa falou sobre os frutos do cerrado e os produtos que podem ser produzidos a partir do seu beneficiamento: farinha de pequi, óleo de buriti, mel, rapadura de baru, polpa de suco e picolé de variados sabores.  A cooperativa realiza extrativismo sustentável dos frutos do cerrado que são colhidos pelos agricultores (as) familiares ajudando na renda da família.

Cooperativa Sertão Veredas na Chapada Gaúcha 


Sede da ACOMA na Comunidade de Barra do Pequi
Na Comunidade de Barra do Pequi situado no Distrito de Serra das Araras os participantes conheceram a experiência da Associação Comunitária Mãe Ana de Lourdes (ACOMA) que através da organização e da luta conquistou melhorias para a comunidade.  A sede da associação é um dos exemplos, construída com tijolos ecológicos feitos pelos próprios moradores da região, possui biblioteca, telecentro com internet, sala de costura e cozinha.  Lourdes Araújo Barbosa, presidente da entidade, contou que todas essas conquistas é fruto da força e da união de todos. As mulheres da ACOMA, por meio do grupo Mãos da Arte, também fazem artesanato como bolsas com frases de escritores (as) da literatura brasileira, chaveiros, bonecas, tudo isso gera renda para as famílias e incentiva a organização das mulheres.


Ciranda feira na EFA
A última visita do intercâmbio ocorreu na Escola Família Agrícola (EFA) de Tabocal na cidade de São Francisco. A EFA é uma escola que utiliza como método a Pedagogia da Alternância em que os estudantes permanecem na escola por 15 dias e depois voltam para suas casas por mais 15 dias. Nessa escola os educandos estudam a leitura, a escrita, a matemática, a tecnologia e também aprendem a trabalhar com a terra, com as plantas, os animais e a conviver e se interagir com a realidade agrícola incentivando a formação integral dos alunos e a promoção do meio rural. Durante a visita os participantes foram recebidos com muita alegria pelos estudantes da EFA que apresentaram com orgulho as instalações da escola.  Roseli Vieira de Menezes da Comunidade de Várzea Grande disse que deseja ver seu filho de 3 anos estudando na EFA para que ele valorize a vida e o trabalho no campo.

Ao final, participantes avaliaram o intercâmbio como importante, pois permitiu ver experiências de sucesso que eles não imaginavam que existisse. Dona Arlinda Corrêa da Comunidade de Vereda Grande I disse que “A gente precisava desse encontro para ver as coisas, porque a gente agora sabe que se o povo unir a gente consegue conquistar tudo”. O intercâmbio é parte das iniciativas do Projeto Peruaçu em parceria com o Programa Água Brasil executado pela Cáritas Diocesana de Januária que, junto com os agricultores e agricultoras da região, está ajudando a transformar a realidade da região. 

Busca no blog

POSTAGENS POR DATA