MST ocupa terras no Alto Rio Pardo, Norte de Minas


Publicado há 7 anos, 9 meses


Na madrugada de 29 de agosto de 2012, cerca de 150 famílias de trabalhadores rurais ligados ao MST – Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra - ocuparam a fazenda Lajinha localizada no município de Novo Horizonte / Fruta de Leite, Região Alto do Rio Pardo, norte do estado de Minas Gerais.
 
A ocupação da fazenda se deve a uma ação para a retomada das terras devolutas pertencentes ao Estado de Minas Gerais e que deveriam ser destinadas à Reforma Agrária, criação de parques e/ou recuperação de nascentes e vegetações.
 
A região Alto Rio Pardo possui cerca de 420 mil hectares de terras de domínio público e foi recentemente alvo de investigação da Polícia Federal na chamadaOperação Grilo. Região esta, onde ocorrem vários conflitos agrários e muitas famílias que ali nasceram e moram se sentem ameaçadas e são encurraladas pela ação do agro-negócio para a produção do carvão. Muitas destas empresas se envolvem em grilagem de terras, derruba o cerrado e as nascentes para o plantio do eucalipto criando um grave problema social. Tudo isso acontece com a inércia e conivência da Secretaria Estadual de Regularização Fundiária. O estado entregou durante vários anos essas terras para essas empresas e hoje, 40 anos depois, com contratos já vencidos, muita dessas terras não foram devolvidas, numa tentativa de grilagem das terras públicas, fazendo com que vários conflitos se arrastem por anos e anos, como o caso Capão Muniz no município de Rio Pardo de Minas, o caso do Conflito agrário na Fazenda Cutícula em Novo Horizonte e Fruta de Leite e casos semelhantes ao redor do Vale das Cancelas no município de Grão Mogol.
 
O MST reivindica que essas terras sejam destinadas às famílias que ali nasceram e que vivem há muitos anos e não às empresas reflorestadoras, que na sua maioria devastam as nascentes e destroem o cerrado.
 
Contato:
Tatiana MST – 38 9905-3747
Luis MST – 38 9935-3915

Busca no blog

POSTAGENS POR DATA