MULHERES CAMPONESAS DOS VALES DO JEQUITINHONHA, MUCURI E RIO DOCE EM LUTA CONTRA A VIOLÊNCIA SEXISTA E POR JUSTIÇA NO CAMPO


Publicado há 9 anos, 11 meses

No dia 03 de março de 2011, 300 mulheres camponesas dos Vales do Jequitinhonha, Mucuri e Rio Doce, integrantes do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra, da Cáritas Diocesana de Almenara, da Comissão de Mulheres do Vale do Mucuri, da FETAEMG, Sindicatos de Trabalhadoras e Trabalhadores Rurais, Movimentos Indígenas e Quilombolas realizam uma marcha do centro da cidade de Teófilo Otoni em direção ao Fórum da Comarca do município. O objetivo da marcha é denunciar os casos de violência contra as mulheres e a violência causada pela concentração de terras na região. O ato traz à memória o massacre de Felizburgo acontecido em 20 de novembro de 2004, no acampamento Terra Prometida, quando cinco trabalhadores rurais sem terra foram assassinados a mando do fazendeiro Adriano Chafik, que responde ao processo em liberdade.

A marcha faz parte do I Seminário de Mulheres Camponesas dos Vales Jequitinhonha, Mucuri e Rio Doce, que ocorre desde o dia 01 de março em Teófilo Otoni e integra a Jornada Nacional de Lutas das Mulheres da Via Campesina. A Jornada já mobilizou nove estados, denunciando os impactos do agronegócio e, em Minas Gerais , acontecem ainda mobilizações na região do Triângulo Mineiro.

As mulheres camponesas dos Vales exigem a prisão imediata de Adriano Chafik, seus cúmplices e demais envolvidos na chacina de Felizburgo, a indenização às famílias vítimas do massacre e a revogação das ordens de despejo nos acampamentos da região. Exigem ainda, o cumprimento dos acordos firmados pelos municípios na execução do Plano Nacional de Enfrentamento à Violência contra as mulheres, assinado pelo Governo de Minas Gerais em 2008.
Notícia encaminhada por Bianca Rückert

Busca no blog

POSTAGENS POR DATA