RECICLAGEM E AGROECÓLOGIA


Publicado há 6 anos, 1 mês








 Giovana – comunicadora popular ASA/Cáritas Araçuai



Produzir alimentos saudáveis sem usar agrotóxicos com gerenciamento sustentável da água este é o objetivo do curso de sistema Simplificado de Manejo para Irrigação(SISMA)que aconteceu nos dias 01,02, e 03 de julho. O curso foi realizado pela Cáritas Diocesana de Araçuaí na comunidade de Aguada Nova, município de Araçuai.
Participaram 20agricultores entre Homens e Mulheres.
O objetivo é Discutir e construir com as famílias beneficiadas, alternativas para o gerenciamento sustentável da água do programa Uma terra e duas Águas (P1+2) com a perspectiva de produção agroecológica.

O Sistema de irrigação Simplificada é mais uma de várias alternativas que as famílias têm para convivência com o nosso semiárido, para produção de alimentos saudáveis, fortalecendo a segurança e soberania alimentar, através dos conhecimentos adquiridos nos  intercâmbios e oficinas de capacitação.


Dominando alternativas sustentáveis: canteiro econômico e irrigação com pet

A construção do canteiro econômico foi um dos temas abordados no curso, o canteiro é um sistema de produção, que tem a finalidade de diminuir os gastos com a água e ao mesmo tempo aumentar a absorção da mesma, sem esperdícios.


“Para a construção do canteiro é interessante observar o posicionamento do sol nascente e poente, pois sol deve cruzar o canteiro no sentido transversal, evitando que os raios solares tenham total incidência durante os períodos mais quentes do dia, esse é feito em forma de trincheira, a fim de que as plantas recebam umidade tanto, superficial quanto no seu interior, podendo ter um espaço entre as irrigações diárias de até cinco dias, visto que esse tem uma maior durabilidade em função que todas suas laterais são forradas com uma lona para assegurar água e evitar deformação, podendo chegar até dez anos”-descreve  o técnico Valteir Olivei-. Parte da irrigação é feita utilizando meios recicláveis, como o palitinho de cotonete, contribuindo com uma educação ambiental,  utilizando  materiais que a natureza oferece, e descartando parte do lixo que talvez fosse lançado na natureza de forma indevida. 

Foto 1: Processo de construção do canteiro econômico: Camadas de areia, vegetais, cinza e terra

“Foi uma beleza participar do curso! Eu aprendi coisas que eu não tinha conhecimento, como o canteiro, e quando temos alguém pra ensinar, a gente só acrescenta com o nosso saber” relata seu Antonio dos Santos



Foto 2: Canteiro econômico já sendo semeado, pronto para o plantio

O agricultor Mauro Lemes relata a  importância de  participar do curso. “A garrafa, o canteiro e cada detalhe novo que aprendi irei colocar em pratica. Além de ser técnicas baratas, são fáceis de fazer”.

O curso  também abordou o cultivo de plantas frutíferas, para melhorar o aproveitamento das áreas, com os  sistemas simples de irrigação, construção do nível “pé de galinha” e recuperação do solo, com foco principal nas construções de curvas de nível, que é uma prática simples de controlar a erosão, captar e assegurar a água das chuvas e transformá-las em produção, assim é possível fazer um plantio em nível, conciliar variedades diferentes de frutas em um único espaço.
Para todo esse processo, foi feito um nível tradicional, “Pé de Galinha”, esse podendo ser feito com materiais simples como: varas, um cordão, e um pêndulo,( que pode ser uma pedra pequena) esse método facilita muito, pois pode ser manejado por uma só pessoa, e oferece boas medidas na observação dos nivelamentos do terreno. Foram feitos gotejadores simples, de garrafas PET, arame e canudinhos de cotonete, que além de diminuir o lixo, possibilitam a maior absorção da água pela planta, visto que essa é oferecida em gotas vagarosas.
 Foto3: Garrafa Pet gotejadora



O curso ofereceu novas experiências, principalmente em relação ao ciclo produtivo que pode ser aperfeiçoado, juntando um bom manejo do solo e da água, aproveitamento e reaproveitamento de materiais orgânicos e descartáveis.





            “Acho muito bom participar de cursos assim, pois o que a gente aprende podemos passar  pra frente, ajudando outras pessoas.” esclarece Ieda Rosa Lemes



Foto 4: Nível simples, em forma de A ou pé de galinha
                                                           

Temos um papel importante para contribuirmos com os agricultores familiares na troca de experiências, incentivando a produzir usando as técnicas de boas práticas, para que possam viver de forma equilibrada, gerando renda, trabalhando e produzindo mais, buscando sempre a melhoria  das condições de suas propriedades através do conhecimento, aprendendo a preservar e valorizar o que é mais sagrado: a terra.



 Foto5: plantação feita usando a curva de nivel


Busca no blog

POSTAGENS POR DATA