Vazanteiros realizam auto-demarcação de seu território


Publicado há 8 anos, 1 mês

Na manhã de domingo (24/07) os vazanteiros dos municípios de Matias Cardoso, Manga e Itacarambí, deram início a criação da Reserva de Desenvolvimento Sustentável do Pau Preto, no município de Matias Cardoso. A comunidade argumenta que “o Rio São Francisco, suas lagoas, matas e ilhas, estão expostos à situação de extrema degradação, vitima da inoperância do poder público que não tem garantido a proteção das águas, nem a proteção dos direitos das comunidades ribeirinhas”, afirmam em manifesto distribuído na manhã do domingo.

A criação da Reserva está sendo feita através do processo de auto-demarcação, onde a comunidade, ciente do limite de seu território tradicional, delimita e explicita a sua propriedade. O grupo intitulado VAZANTEIROS EM MOVIMENTO adverte que iniciam a ação no território da Ilha do Pau Preto, e darão seqüência demarcando outras porções da vazante do São Francisco. “Vamos continuar, à nossa maneira, fazendo a proteção do rio. Vamos cuidar do rio, de suas lagoas, margens e ilhas, que são também o nosso território. Vamos cuidar da nossa maneira. E daqui não vamos sair”, explicita.

No dia 27 de maio de 2006, os vazanteiros lançaram a CARTA-MANIFESTO DAS MULHERES E HOMENS VAZANTEIROS: Povos das “águas e das terras crescentes”. No documento lançaram o primeiro alerta sobre a degradação social e ambiental que vinha sofrendo o rio e seus povos. A carta foi enviada ao então Presidente Lula, a todos os governadores dos estados onde o rio São Francisco percorre. “ E até hoje a resposta que tivemos foi o silêncio”, afirmam no manifesto. Desde então, deram seqüência a uma série de manifestações políticas, que envolveram instâncias e autarquias estaduais como governo do Estado de Minas Gerais, Instituto Estadual de Florestas e INCRA MG e Secretaria do Patrimônio da União na esfera federal, dentre outros.

Os vazanteiros afirmam que conhecem os direitos que têm e vão lutar por eles. “Sabemos de nossos direitos, conferidos pela Convenção 169 da OIT, pelos artigos 215 e 216 da Constituição Federal de 1988 e artigo 68 do ADCT, pelo Sistema Nacional de Unidades de Conservação, pelo Decreto Federal 6.040, de 07 de fevereiro de 2007, que regulamenta a Política Nacional de Desenvolvimento Sustentável de Povos e Comunidades Tradicionais”, citam.

A Comissão Pastoral da Terra - CPT e o Centro de Agricultura Alternativa do Norte de Minas – CAA-NM já se deslocaram para o local a fim de manifestarem solidariedade e apoiarem os vazanteiros na luta em curso.

Confira o manifesto dos vazanteiros: CLIQUE AQUI!

Busca no blog

POSTAGENS POR DATA